Filarmônica Vera Cruz

Imprensa

Júlio Medaglia e Filarmônica Vera Cruz levam a série “A Orquestra vai à Escola” para as escolas públicas de SBC
O intuito é proporcionar novas perspectivas para crianças e jovens através da música.

16/11/2011 às 09h41

Criar uma barreira mais duradora e eficiente do que a formada por grades e cadeados é um dos objetivos da série “A Orquestra vai à Escola”, iniciada em outubro, pela Filarmônica Vera Cruz. A intenção é mostrar que a música pode oferecer novas perspectivas aos alunos, expandindo seus horizontes, e transformando suas vidas. Os casos de violência ocorridos em escolas e cada vez mais divulgados pela mídia têm deixado a população apreensiva em relação à segurança de seus filhos. Levar a música até eles é mostrar que o mundo pode ser melhor.

Na próxima segunda-feira, dia 21 de novembro de2011, aorquestra se apresentará para os alunos da EMEB Mário de Andrade, em São Bernardo do Campo. As cerca de 300 crianças, do ensino básico poderão ouvir e conhecer um pouco mais sobre uma orquestra e a música clássica.

Com uma linguagem bastante didática, o maestro Júlio Medaglia apresenta aos alunos os diversos instrumentos musicais, explica suas funções e a importância de atuarem em conjunto.

Para o maestro Júlio Medaglia é uma iniciativa valiosa para atrair a atenção dos alunos para a música, que tem pouco espaço no cotidiano desses jovens. “É emocionante ver os olhos das crianças brilhando, ouvindo assim tão de perto uma orquestra sinfônica. A música é feiticeira e o encantamento que ela produz atinge a todos, ricos e pobres, adultos e crianças”, conclui o maestro.

A Filarmônica Vera Cruz iniciou sua temporada 2011 em agosto passado, com uma programação bastante diversificada e com o intuito de atrair novos ouvintes e divulgar a música clássica para todos os públicos. Além dos concertos semanais e gratuitos nos teatros da cidade, a orquestra também apresenta semanalmente, a série “Encontros com a Juventude”, que permite ao público menos acostumado a música erudita, uma oportunidade de ter um primeiro contato com uma orquestra.

“O objetivo desta nova temporada é dar acesso a todos os públicos e permitir que eles apreciem apresentações de alto nível. As pessoas acham que a música clássica é elitizada e sentem receio de ir a um evento, mesmo que ele seja gratuito, mas se encantam quando vão”, assegura o maestro Júlio Medaglia.

Voltar